tratamento-natural-insonia-clinica-medica-do-porto

Tratar a insónia sem recorrer medicamentos

Esperamos sinceramente que não esteja a ler este artigo às 5h da madrugada depois de uma noite em branco, mas se recorrentemente se vê obrigado/a a contar carneirinhos para conseguir fechar a pestana, talvez esta publicação seja para si!

Deixamos a seguir uma variedade de plantas que o ou a ajudarão a dormir e descansar melhor. E o melhor de tudo é que na sua grande maioria, dispensam os efeitos secundários e nefastos dos medicamentos de síntese química!

Camomila

A Camomila é há muito conhecida pelas suas propriedades calmantes, usada para aliviar a ansiedade e insónia. Pensa-se que o efeito estará relacionado com um flavonóide presente na sua composição – a apigenina –  cujos efeitos são semelhantes aos das benzodiazepinas, mas claro, sem os seus efeitos secundários.

Já agora, convidamo-lo a fazer uma pesquisa sobre esta “apigenina”. Vai surpreender-se com o seu potencial!

Valeriana

A Valeriana, talvez de todas as plantas aqui apresentadas aquela mais conhecida para a utilidade que lhe é atribuída, apresenta propriedades medicinais sedativas, ajudando a reduzir quer a ansiedade bem como a insónia.

É utilizada como indutor de sono, quer para garantir que desfruta de uma noite tranquila.

Lúpulo

Sim, Lúpulo, e não falamos só do seu fermentado mais conhecido – a cerveja -, mas do seu efeito enquanto “simplesmente” lúpulo…

Esta planta possui na sua composição metilbutanol (2-methyl-3-buten-2-ol), um composto com propriedades calmantes e indutoras do sono. Já agora, se o que pretende é mesmo descansar, opte por ficar-se pelo chá, evitando a bebida fermentada – é um engano pensar que a ingestão de bebidas alcoólicas o ajudam a dormir melhor!

Erva dos Gatos

Quanto à Erva dos Gatos, ou Erva Gateira, as propriedades das flores incluem a actividade ansiolitica, sedativa e antiespasmódica. O seu efeito estará relacionado com um dos constituintes principais – a nepelactona.

Uma das vantagens, ao contrário por exemplo do Lúpulo, que é bastante amargo, é que esta planta produz um chá mentolados, agradável ao palato.

Passiflora

A Passiflora possui na sua composição substâncias capazes de induzir os níveis de GABA (ou ácido gama amino butírico) no cérebro.

O GABA é um neurotransmissor responsável por efeitos relaxante, redutor da ansiedade e anticonvulsivo.

Lavanda

A Lavanda é uma das plantas mais conhecidas na redução do stress.

O chá sabe um pouco a “sabonete”, mas experimente colocar um pouco de aroma extraído do seu óleo essencial na almofada ou mesmo na cama antes de dormir e prepare-se para uma noite descansada… Há referências que indicam que o seu aroma ajuda a reduzir a pressão sanguínea, e induzem um sono mais profundo.

Papoila da Califórnia

Sim, o primeiro pensamento de alguns dos leitores poderá ser – afinal trata-se de uma Papoila – não será o ópio na sua composição que ajuda a explicar os efeitos sedativos?

De facto, esta variedade de Papoila é muito particular, no sentido em que não possui na sua composição alcalóides da família dos opiáceos, mas sim alcalóides bioactivos que apresentam efeitos analgésicos, reduzem a ansiedade e ajudam a induzir o sono, sem manifestar os efeitos “normais” dos opiáceos puros.

Hypericum Perforatum

O Hypericum Perforatum, ou Erva de São João, (não confundir com outras variedades de Hipericão), apresenta propriedades anti-depressivas e ansiolíticas amplamente conhecidas.

Mas atenção na sua utilização – esta planta interfere com muitos dos medicamentos vulgares de síntese química, alterando a sua absorção, pelo que se faz regularmente outra medicação, não se esqueça de referir ao seu clínico todos os medicamentos que está a tomar.

Cidreira

A Cidreira, ou Erva Cidreira é uma planta usada em fitoterapia como antiespasmódica, sedativa e calmante.

Ajuda a  melhorar a qualidade do sono e faz um chá bastante agradável com marcado paladar e aroma a limão. Os seus efeitos terapêuticos são explicados pelos teor e qualidade dos flavonóides na sua composição. Adicionalmente há relatos da sua utilização para melhorar os aspectos cognitivos afetados em patologias como as demência, em particular a doença de Alzheimer.

Em qualquer circunstâncias e como sempre, deverá consultar o seu clínico assistente antes de tomar qualquer medicação ou fitoterapia, por mais inócua que lhe possa parecer… Embora em proporções distintas, as plantas também podem apresentar efeitos secundários e mecanismos de acção que afectam a absorção e outras substâncias.

A utilização destas ou de outras plantas não é um substituto para um tratamento clínico. Em caso de insónia ou dificuldades de sono persistente consulte um médico ou terapeuta.

Problemas de sono?

Clique para conhecer as soluções não invasivas para o tratamento da insónia e distúrbios do sono que a Clínica Médica do Porto, coloca ao seu dispor.

shares