Posicionar-bebe-clinica-medica-do-porto-1

Durante a consulta de Osteopatia Pediátrica, uma das questões que sempre pergunto aos pais é, se tem o habito de colocar o bebé de barriga para baixo.

A resistência do bebé à nova posição

Constato que ainda há muitos medos e/ou mitos relativamente a este tópico. Quando questionados acerca do assunto, muitos pais referem abertamente que evitam colocar o bebé de barriga para baixo, e mesmo alguns daqueles que o fazem, não se sentem confortáveis ou descansados a posicionar o bebé desta forma.

As respostas para este comportamento são as mais diversas! Encontro pais que me referem que o bebé não gosta, ou que ao posicioná-lo deste modo ele começa a chorar; ou fica irritado; ou mais vulgarmente, porque os pais tem um legítimo receio que o bebé abafe.

Antes de mais, importa referir que alguma resistência do bebé ao assumir esta “nova” posição de barriga para baixo é perfeitamente normal. Lembremo-nos que o bebé permaneceu no útero 9 meses em posição fetal e portanto em flexão, e por isso é expectável que confrontado com este novo desafio, reaja, chore ou que até tente rodar! No entanto, recomendo que “aguente firme” – é fundamental insistirmos nesta posição e dir-lhe-emos porquê nos parágrafos seguintes.

Posicionar-bebe-clinica-medica-do-porto-2

Quando colocar o bebé de barriga para baixo e de barriga para cima

No desenrolar do seu desenvolvimento motor, o bebé evolui progressivamente de um padrão flexor para um padrão extensor, até a posição bípede (posição levantado).

Assim, é fundamental estimular a aquisição desta competência por parte do recém-nascido. E quando questionado sobre o momento ideal para iniciar esse estímulo, a minha resposta é inequívoca – desde o primeiro dia! Não existe qualquer contra indicação para o fazer, desde que o bebé esteja acordado e sob vigilância (esta última parte da cuidado e atenção que devemos ter nesse momento é da maior importância).

Na verdade, e retomando o primeiro parágrafo, alguns papás fundamentam a resistência na colocação do bebé nesta posição com o medo que o “bebé abafe”. Efectivamente, o seu receio é justificado!

O posicionamento em decúbito ventral (de barriguinha para baixo) aumenta a probabilidade de morte súbita do recém nascido.

Por esse motivo, e já desde 1992, a Associação Americana de Pediatria recomenda com veemência que na altura de dormir, o bebé seja colocado numa posição de barriga para cima (BACK TO SLEEP) por forma a diminuir esse risco!

E os efeitos dessa recomendação são marcantes quando se observam os números! Podemos constatar pela observação do gráfico, que desde a emanação dessa recomendação, o índice que regista o número de óbitos por Síndrome da Morte Súbita de SIDS (Sudden Infant Death Syndrome) caiu cerca de 60%, passando de 1,2 para 0,49 óbitos por cada 1000 nascimentos. (Mortalidade por morte Subita. Gráfico retirado desta página)

mortalidade-morte-subita
fonte do Gráfico: https://www.pastoraldacrianca.org.br/

Observados os dados e ponderados os riscos, não há dúvida de que na hora de dormir, a posição mais adequada para o recém nascido é em decúbito dorsal (barriga para cima). No entanto, insistir nesta posição por tempo demasiado poderá também resultar em consequências nefastas para o bebé!

Um bebé que passe demasiado tempo em decúbito dorsal (barriga para cima) apresenta um risco acrescido de desenvolvimento de diversas patologias, entre as quais referimos as mais vulgares:

  • plagiocefalia,
  • torcicolos,
  • atraso no desenvolvimento motor,
  • alterações digestivas,
  • entre outras.
Posicionar-bebe-clinica-medica-do-porto-3

Vantagens do Decúbito Ventral / Tummy Time

Posicionar o bebé de barriga para baixo é, como já vimos, fundamental não só para o seu desenvolvimento, mas como se constata, também para evitar o surgimento de outras patologias.

A importância desta medida é de tal ordem que o Serviço de Saúde Norte Americano [NIH – National Institute of Health] desenvolveu uma campanha intitulada Tummy Time (tempo de barriga para baixo), para alertar os pais e cuidadores da importância “forçar” o bebé a este posicionamento, e contrariar o excesso de tempo que os bebés passam de barriga para cima.

Saiba mais sobre a campanha: Tummy Time.

As vantagens deste reforço são inúmeras e de inegável importância no desenvolvimento motor do recém nascido, de entre as quais importa destacar:

A aquisição de força e estabilidade cervical (pescoço);
A aquisição de força e estabilidade na coluna vertebral (costas).

Para além disso, posicionar o bebé sobre a sua barriguinha contribui para despertar a sua curiosidade para o que está à sua volta, estimulando a aquisição de competências a nível motor, sensorial, comunicacional e cognitivo.

Resumindo, deve colocar os bebés de costas no momento de dormir, mas de barriguinha para baixo na altura de brincar (neste caso, sempre com vigilância activa).
Esta atitude pode revelar-se um desafio quer para o bebé, quer para os pais, no entanto, lembre-se que quanto mais cedo começar, mais fácil será.

Inicialmente, poderá começar por uns minutinhos por dia, por exemplo incluindo este momento nas atividades diárias (vestir, aplicar o creme, na altura do banho) e posteriormente, por exemplo a partir dos 3 meses, o bebé pode estar até uma hora por dia nesta posição, distribuindo estes momentos ao longo do dia.

Agora que já sabe, lembre-se…

DE COSTAS PARA DORMIR E DE BARRIGUINHA PARA BAIXO PARA BRINCAR

Artigo redigido para a Clínica Médica do Porto pelo terapeuta Tiago Monteiro, Osteopata e Fisioterapeuta, Especialista em Osteopatia Infantil.

Photo by Jonathan Borba on Unsplash Photo by Irina Murza on Unsplash Photo by The Honest Company on Unsplash

Dúvidas ou questões?

A leitura do presente artigo não dispensa em caso algum a visita ao seu médico assistente, nem substitui a sua opinião. Cada caso deverá ser analisado numa óptica individual e personalizada, com base no historial da paciente.
Clique para conhecer as soluções que a Clínica Médica do Porto, coloca ao seu dispor.

Call Now Button