A Clínica Médica do Porto oferece um vasto conjunto de Serviços Clínicos no âmbito da Medicina Convencional e Complementar. Nesta página, procuramos responder às suas dúvidas relativas à Consulta de Acupuntura e à Técnica Terapêutica.

Como Funciona a Acupuntura – Quais os princípios da Acupuntura

EM QUE CONSISTE A ACUPUNCTURA?

A Acupunctura é uma técnica terapêutica da Medicina Chinesa (talvez a mais conhecida de todos os tratamentos), que consiste na inserção de agulhas em pontos específicos do corpo humano. As agulhas podem ser manipuladas através de várias técnicas manuais ou recorrendo a estimulação elétrica. Os princípios da Medicina Chinesa assentam no conceito da livre circulação de energia no corpo. Quando este fluxo não ocorre de forma livre estão reunidas as condições para que ocorra a doença. De acordo com o estudo da Acupuntura à luz do entendimento da Medicina Ocidental, esta  aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo desencadeia um conjunto de acções que vão desde a libertação de mediadores químicos, à estimulação ou dessensibilização de nervos.

QUAIS SÃO OS PRINCÍPIOS DA ACUPUNCTURA?

A Acupuntura é um sistema de tratamento usado há milhares de anos por milhões de pessoas em todo o mundo, e uma técnica da Medicina Chinesa, equiparada à Fitoterapia, Moxabustão, Ventosaterapia ou mesmo o Chi-kung (na base do Tai-Chi-Chuan). De acordo com este sistema médico oriental a doença é tratada como um desequilíbrio de energia que se manifesta no corpo das mais diversas formas (uma dessas formas é por exemplo a dor). Na acupunctura, são utilizadas agulhas de aço inoxidável, descartáveis, aplicadas de forma criteriosa e de acordo com o diagnóstico diferencial da patologia, com o objectivo de estimular os pontos de acupuntura localizados nos meridianos ou canais de transporte de energia, para tratar a doença, visando corrigir esses desequilíbrios.

Para os Orientais, a noção de equilíbrio é um dos mais importantes conceitos para a vida e natureza. Na teoria Médica Chinesa, a Acupunctura funciona equilibrando a energia. O Qi (ou chi) é descrito como uma forma de energia que circula em condutos bem definidos – os meridianos (do mesmo modo como o sangue circula através de vasos sanguíneos até às células). A existência ou proeminência de doença surge por um bloqueio ou um desequilíbrio desta circulação de Qi. A teoria médica chinesa permite-nos diagnosticar o desequilíbrio… e equilibrá-lo.

Os estudos realizados neste âmbito na Medicina Ocidental sugerem que a Acupuntura funciona estimulando quer algumas partes do cérebro, quer nocireceptores (receptores de dor), ou ainda regulando a actividade de neurotransmissores e hormonas. Alguns destes mecanismos não são totalmente conhecidos (e os estudos continuam à medida que a ciência evolui) sendo que os seus efeitos são mensuráveis.

COMO É EXECUTADA A ACUPUNCTURA?

Existem cerca de 360 pontos localizados em diversas zonas do corpo. São estes pontos, localizados em meridianos, que o acupuntor utiliza para influenciar a circulação de energia. Na Medicina Oriental essa influência pode ser realizada recorrendo a agulhas de acupunctura ou por estímulo directo recorrendo a uma técnica de pressão manual sobre um determinado ponto, denominada de digitopuntura. As agulhas utilizadas são pré-esterilizadas, de aço inoxidável, descartáveis (de uso único), e pouco mais grossas do que a espessura de um cabelo humano.

QUAL O CRITÉRIO DE UTILIZAÇÃO DAS AGULHAS NUMA CONSULTA DE ACUPUNTURA?

Na Consulta de Acupuntura, depois de realizada a anamnese do paciente e estabelecido o diagnóstico diferencial da patologia, as agulhas são colocadas em pontos específicos de acupunctura localizados em meridianos. Não há uma combinação específica para a localização das agulhas de acupuntura, uma vez que tal depende do paciente, do seu historial clínico e da patologia a tratar. As agulhas podem ser aplicadas em toda a superfície corporal, particularmente no local onde se situa o meridiano sobre o qual se pretende actuar e no ponto, ou combinação de pontos específicos para os quais o terapeuta, com suporte na sua formação, espera obter um determinado efeito terapêutico.

DURANTE UMA CONSULTA DE ACUPUNTURA QUANTO TEMPO DEVO PERMANECER COM AS AGULHAS?

As sessões de Medicina Chinesa tem uma duração média de 45’ – 1h. Em média o paciente permanece cerca de 20/30 minutos com as agulhas, o que não significa que não existam outras circunstâncias ou condições para as quais se recomendam timmings diferentes.

AO REALIZAR ACUPUNTURA É NECESSÁRIO CONSULTAR SEMPRE O MESMO ACUPUNTOR?

Do mesmo modo que na Medicina Convencional, existem dentro da Acupuntura diferentes profissionais especializados ou dedicados a áreas distintas. Tal significa que deverá procurar o acupuntor com maior experiência na área para a qual pretende obter ajuda com a sua saúde. De acordo com a formação específica de cada um destes profissionais, é natural que a sua experiência de consulta seja diferente. Por exemplo, não é invulgar que especialistas diferentes se socorram de metodologias distintas ou mesmo combinações terapêuticas distintas no que respeita à escolha dos pontos de acupuntura para tratar uma mesma condição.

PORQUE É QUE A AGULHA DE ACUPUNTURA NÃO É SEMPRE COLOCADA EXATAMENTE ONDE ESTOU A SENTIR DOR?

Quando estão a tratar algum tipo de dor (por exemplo uma dor lombar, dor nas costas, dor na anca ou dor ciática – que por sinal respondem muito bem ao tratamento de acupuntura), é vulgar os pacientes questionarem se as agulhas não deveriam ser colocadas de forma precisa nos locais onde existe a dor. A verdade é que não. Nem sempre é necessário ou indicado colocar as agulhas no local onde o paciente sente a dor. Não quer dizer que tal não possa acontecer, mas a Medicina é complexa e há muitas formas de se obter o efeito terapêutico desejado, sem ser através de “fórmulas” ou protocolos. Cada tipo de dor é diferente da anterior ou da seguinte e do mesmo modo, cada paciente responderá de forma diferente a um ponto ou uma combinação de pontos de acupuntura. Existem pontos localizados nos meridianos que são indicados para o tratamento de condições que não se manifestam na zona da localização dos pontos ou mesmo da patologia.

A ACUPUNCTURA FUNCIONA?

Numerosos estudos indicam que a acupunctura pode ajudar em diversas condições de saúde, nomeadamente, numa das condições pelas quais é mais procurada, para gerir a dor. Há porém ainda muitas condições para as quais será necessário realizar mais estudo e a comunidade científica está empenhada nessas conclusões. Algumas das condições para as quais a acupunctura demonstra efectividade terapêutica inequívoca incluem a gestão da dor, a gestão de sintomas de cancro tais como náuseas, vómitos, diarreia, obstipação, ondas de calor, fadiga e humor, entre outras. Há ainda estudos clínicos a demonstrar a eficácia da acupuntura em doenças como alergias, depressão, hipertensão, cotovelo de tenista, enjoos e náuseas, no tratamento de sintomatologia associada à gravidez, e acidente vascular cerebral.

O EFEITO DA ACUPUNTURA É EFEITO PLACEBO?

Tenha em mente que é praticamente impossível dissociar o efeito de qualquer terapêutica (e sim, mesmo também no caso dos medicamentos) do chamado Efeito Placebo.

Mas se a questão é se a Acupunctura funciona “apenas” na cabeça do paciente, sem qualquer efeito terapêutico real, a resposta é não. Não só existem muitos estudos que demonstram os efeitos terapêuticos da Acupuntura em diversas áreas da saúde, como também, recorrendo a um exemplo categórico, vimos assistindo a um crescendo de Médicos Veterinários que utilizam a acupuntura no decurso das suas intervenções clínicas… Pelo que, acreditando que os animais (irracionais) não tem consciência da acupuntura enquanto processo terapêutico, nem crenças sobre a acupunctura, não poderá afirmar-se que o efeito da Acupuntura se fica a dever ao efeito placebo…

TENHO DE ACREDITAR NA ACUPUNCTURA PARA ESTA FUNCIONAR?

O “efeito placebo” faz parte de qualquer processo terapêutico, até mesmo da toma de um medicamento. A acupunctura é utilizada com sucesso para tratar crianças e animais, nenhuma das quais apresenta quaisquer crenças pré-concebidas sobre a sua eficácia, obtendo no entanto, num e noutro caso, resultados terapêuticos eficazes. Naturalmente, e em qualquer sistema de tratamento, seja o convencional, complementar ou alternativo, uma perspetiva positiva da vida e da doença, e da mesma forma, a adoção de um estilo de vida mais saudável, podem reforçar os efeitos do tratamento.

O que devo esperar da minha Consulta de Acupuntura

NUNCA FIZ ACUPUNTURA, COMO (E ONDE) SABER POR ONDE COMEÇAR?

Idealmente poderá começar por perguntar a quem conhece a terapêutica em si, ou o seu potencial no tratamento da sua condição de saúde particular. Se o seu médico assistente tiver formação ou conhecimentos de acupuntura, será uma óptima ajuda neste processo.

De qualquer forma,  se esse não for o caso, deverá procurar o conselho de um especialista acupuntor e avaliar as suas opções. A acupuntura é uma técnica eficaz de tratar diversas patologias com baixa incidência de efeitos colaterais. Se a medicação convencional não é uma opção viável ou se procura uma via alternativa para a sua terapêutica, então a acupunctura pode ser uma opção a considerar.

O QUE DEVO ESPERAR DE UMA CONSULTA DE ACUPUNTURA?

Particularmente se for o seu primeiro tratamento, é natural que o médico ou terapeuta recolha a informação relativa ao seu historial de saúde e realize uma avaliação da condição para a qual procura tratamento. O clínico irá de igual modo fazer algumas perguntas, não só sobre a condição a tratar, mas também sobre o seu estilo e e hábitos de vida, o que na Medicina Chinesa são elementos bastante relevantes para, numa abordagem holística, se perceber a origem do problema de saúde. O terapeuta irá adicionalmente realizar exames diversos, tais como sentir o seu pulso ou observar a sua língua, podendo ainda palpar meridianos  e/ou realizar outros exames específicos para a sua condição. O tratamento inicial pode durar entre 45’ a 11/2h, sendo que habitualmente as sessões posteriores (de continuação) tem uma duração de média de 1h.

O QUE ACONTECE DURANTE UMA SESSÃO DE ACUPUNTURA?

Na sua primeira visita, o acupuntor irá reunir informações sobre o seu historial médico e familiar. Será realizado um breve questionário seguido de exame físico, onde é habitual o terapeuta avaliar a condição dos pulsos e da língua do paciente, elementos muito importantes para a realização do diagnóstico na Medicina Chinesa. Depois disso e a cada visita, esta informação será actualizada mediante a evolução da sua doença. Mediante a informação recolhida será traçado o plano de tratamento para a sessão ou para o conjunto de sessões, onde o terapeuta poderá socorrer-se de métodos de acupuntura para estimular ou desestimular pontos específicos como forma de obter o efeito terapêutico desejado ou ainda combinar estes tratamentos com outras técnicas da Medicina Chinesa.

É NECESSÁRIA PREPARAÇÃO PARA A MINHA CONSULTA DE ACUPUNCTURA?

A resposta é não – não há qualquer necessidade específica que exija preparação da sua parte no período que antecede o seu tratamento de acupuntura. Recomenda-se, caso seja possível, que venha à sua Consulta de Acupuntura envergando roupa confortável, porque é provável que fique deitado/a numa marquesa por algum período de tempo e também porque roupa mais confortável poderá facilitará o acesso do terapeuta aos meridianos.

QUANTAS SESSÕES DE ACUPUNTURA SÃO NECESSÁRIAS PARA RESOLVER O MEU PROBLEMA DE SAÚDE?

Essa é uma questão que não tem uma resposta única. Do mesmo modo que no âmbito da Medicina Convencional é o seu médico a determinar o número de comprimidos que deve tomar e o período de tempo recomendado, também no caso da Acupuntura se aplica o mesmo princípio: a frequência do tratamento depende da sua condição médica e do plano de tratamento estabelecido pelo seu terapeuta.

Algumas condições respondem mais rapidamente a tratamentos frequentes de acupunctura, embora esse não seja sempre o caso. O seu terapeuta será responsável por estabelecer o seu diagnóstico diferencial e nessa altura, é uma boa prática discutir a expectativa para o plano de tratamento ajustado à sua condição.

AO FIM DE QUANTO TEMPO COMEÇO A SENTIR OS EFEITOS DO TRATAMENTO DE ACUPUNTURA?

Do mesmo modo que na Medicina Convencional, é importante reconhecer que as doenças instaladas há mais tempo (doenças crónicas) podem requerer um maior esforço ou um maior período de tratamento ou mais sessões de Acupuntura. Ainda neste âmbito, a Acupuntura pode ser executada recorrendo a um plano terapêutico intensivo, por exemplo com uma frequência de várias sessões por semana, ou menos de uma vez por mês, tudo depende da patologia, do seu diagnóstico e da resposta do corpo ao tratamento. O plano de tratamento deverá ser discutido com o seu clínico antes de iniciar as sessões de acupuntura.

QUANDO TERMINA O TRATAMENTO DE ACUPUNTURA?

Numa perspectiva mais macro, o seu tratamento terminará quando se sentir melhor, ou quando os objectivos para a sua saúde, traçados em conjunto com o seu terapeuta, forem atingidos. Ao nível da sessão, e falando somente da acupuntura, é natural que o paciente permaneça com as agulhas de Acupuntura durante cerca de 20 a 30 minutos. Durante esta fase muitos pacientes experimentam uma sensação de relaxamento ou sonolência. Nesse momento poderá finalizar a sua sessão de acupuntura ou então continuar o seu tratamento recorrendo a outras técnicas.

POSSO FAZER A MINHA VIDA “NORMAL” ANTES OU DEPOIS DA DA MINHA SESSÃO DE ACUPUNCTURA? POR EXEMPLO REALIZAR EXERCÍCIO FÍSICO, FAZER UMA MASSAGEM, IR A OUTRA CONSULTA, OU REALIZAR UM EXAME (…)?

Sim, a Acupuntura não apresenta qualquer tipo de restrição ou incompatibilidade com qualquer tipo de actividade e/ou a esse nível. Os tratamentos de acupunctura podem ser realizados em conjunto ou combinados com outro tipo de cuidados de saúde ou exercício – por vezes é até recomendado, se tal representar um efeito terapêutico sinérgico com benefícios para o paciente.

Acupuntura no Tratamento da Dor e Outras Patologias / Doenças

EM QUE SITUAÇÕES DE SAÚDE PODEREI RECORRER À ACUPUNCTURA?

Muitas pessoas recorrem à Acupunctura para ajudar a aliviar situações relacionadas com a Dor, mas a Organização Mundial de Saúde lista diversas outras condições para as quais é indicada a utilização de acupuntura. A referida listagem pode também ser consultada no site da Associação Americana de Acupuntura Médica:

  • Doenças Respiratórias
  • Sinusite aguda
  • Rinite aguda
  • Resfriado comum
  • Tonsilite aguda
  • Doenças Brônquicas e Pulmonares
  • Bronquite aguda
  • Asma brônquica
  • Doenças Oculares
  • Conjuntivite aguda
  • Catarata (sem complicações)
  • Miopia
  • Retinite central
  • Doenças Ortopédicas
  • Periartrite umeroscapular
  • Cotovelo de tenista
  • Ciática
  • Dor lombar
  • Artrite reumatóide
  • Doenças Neurológicas
  • Dor de cabeça
  • Enxaqueca
  • Neuralgia trigeminal
  • Paralisia facial
  • Paralisia após ataque apoplético
  • Neuropatia periférica
  • Paralisia causada por poliomielite
  • Síndrome de Meniere
  • Disfunção neurogênica da bexiga
  • Enurese noturna
  • Distúrbios da Cavidade Oral
  • Dor de dentes
  • Dor após a extração do dente
  • Gengivite
  • Faringite
  • Problemas Gastrointestinais
  • Espasmo do esôfago e cárdia
  • Soluços
  • Gastroptose
  • Gastrite aguda e crônica
  • Hiperacidez gástrica
  • Úlcera duodenal crônica
  • Colite aguda e crônica
  • Disenteria bacteriana aguda
  • Obstipação
  • Diarréia
  • Íleo paralítico

POSSO USAR A ACUPUNCTURA EM CONJUNTO COM OUTROS MÉTODOS PARA REDUZIR A DOR?

Deverá discutir a situação com o seu médico e escutar a sua opinião, bem como de uma especialista em acupuntura. Se está a ser acompanhado por um Médico de Medicina  Convencional e pretende reforçar a sua terapêutica com acupuntura, deverá informar o seu médico que pretende realizar um tratamento que integre os dois tipos de abordagens. Não há qualquer incompatibilidade neste tipo de intervenção conjunta, mas deverá sempre manter todos os profissionais de saúde que o estão a ajudar a par das suas intenções e da evolução da sua condição. Os melhores efeitos obtêm-se quando os profissionais trabalham em conjunto, complementando-se em prol da saúde do paciente.

Acupuntura e Gravidez

POSSO REALIZAR A CONSULTA DE ACUPUNCTURA SE ESTIVER GRÁVIDA?

A Acupuntura é uma terapia segura que pode utilizar durante a sua gravidez, contribuindo para aliviar de forma contundente muitas condições de gravidez ou mesmo do pós-parto.

Além disso, e considerando as restrições farmacológicas a que estão condicionadas as Grávidas ou as mulheres que pretendem engravidar, a Acupuntura constitui-se como uma das opções mais viáveis para lidar com as maleitas da Gravidez. No entanto, é importante saber que, da mesma forma como existem medicamentos que não podem ser administrados durante o período de gestação, há também pontos de acupunctura contraindicados durante a gravidez, pelo que é fundamental que informe o seu médico ou terapeuta se estiver grávida.

A ACUPUNCTURA É SEGURA DURANTE A GRAVIDEZ?

Sim. Não só a acupuntura é segura, como a Gravidez é uma das áreas com maior proeminência na utilização deste tipo de técnica terapêutica. Desde logo pela sua eficácia no tratamento de sintomas da gravidez, durante o primeiro, segundo e terceiro trimestre, mas depois e também pelo seu elevado nível de tolerância e ausência de efeitos nefastos que contrastam com os riscos associados à administração de medicamentos para tratar algumas das maleitas da gravidez.

A acupunctura é também muito usada para ajudar a promover o trabalho de parto, condição reconhecida quer por muitas parteiras e médicos/as obstetras que remetem as seus pacientes grávidas para a Acupunctura.

Finalmente importa também mencionar o contributo da Medicina Chinesa na área da Fertilidade, circunstância que traz cada vez mais casais e mulheres à consulta de Acupuntura, onde a associação entre a Medicina Convencional e esta Terapia apresenta cada dia mais provas da sua eficácia.

QUAIS OS BENEFÍCIOS DA ACUPUNTURA DURANTE A GRAVIDEZ?

A Acupunctura pode ser usada durante todos os trimestre da gravidez para tratar sintomas tais como:

  • Cólicas,
  • Inchaço abdominal,
  • Cansaço,
  • Tonturas,
  • Náuseas,
  • Vómitos e enjoos,
  • Variações de humor,
  • Dor lombar,
  • Dor cervical,
  • Pequenos sangramentos vaginais,
  • Alterações do paladar e olfacto,
  • Tensão mamária,
  • Sono excessivo,
  • Obstipação,
  • Gases intestinais,
  • Aumento da vontade de urinar,
  • – entre muitos outros.

Tratamentos Complementares (Medicina Complementar e Alternativa) e Medicina Convencional

QUAIS AS VANTAGENS DA ACUPUNCTURA FACE AOS MEIOS DE TRATAMENTOS CONVENCIONAIS?

O benefício mais visível será a possibilidade de tratar o seu problema de saúde recorrendo a uma terapia com uma abordagem holística, focado na resolução da causa e não do sintoma. Para além disso a acupuntura, enquanto Terapia Não Convencional, apresenta uma forma alternativa de tratar uma patologia sem recorrer a químicos farmacológicos, habitualmente associados a fenómenos de tolerância ou efeitos secundários proeminentes. Para além disso o especialista em acupuntura tem habitualmente formação de base em Medicina Chinesa, podendo deste modo completar a Consulta de Acupuntura com outras técnicas do arsenal terapêutico deste sistema médico, tais como a Ventosaterapia ou a Moxabustão, entre outros.

Naturalmente é importante mencionar que a Acupuntura ou neste âmbito a Medicina Chinesa não são uma “panaceia para todos os males”, apresentando, tal como outros sistemas terapêuticos, as suas limitações. Por isso é importante que o seu médico ou terapeuta conheça as suas capacidades e limitações, preferencialmente trabalhando em conjunto com outros especialistas da Medicina Convencional e Não Convencional, optando pelo solução que representar o maior benefício terapêutico para si.

A MEDICINA OCIDENTAL “APROVA” A ACUPUNCTURA?

Não é uma questão de “aprovar” ou “não aprovar”. A Acupuntura enquanto técnica é usada no oriente à milhares de anos para tratar as mais diversas doenças. No Ocidente a sua utilização é mais recente, mas ainda assim é amplamente praticada na maioria dos países, quer de forma independente, quer de forma articulada com a Medicina Convencional. Em Portugal, adoptou-se por regulamentar a actividade no âmbito das Terapias Não Convencionais. A prática da actividade profissional de acupuntor ou terapeuta de Medicina Tradicional Chinesa está legislada e obriga a formação e validação formativa específica. Para além disso, a Organização Mundial de Saúde reconhece de forma cabal a sua utilidade na abordagem a uma diversidade de problemas de saúdem de tal forma que existe também uma sub-especialização em Acupuntura Médica para estes profissionais de saúde que pretendem aprofundar os seus conhecimentos nesta área.

POSSO MANTER OS TRATAMENTOS CONVENCIONAIS SE ESTIVER CONCOMITANTEMENTE A REALIZAR ACUPUNCTURA?

Sim, salvo indicação em contrário, poderá (e/ ou deverá) integrar a sua consulta de Acupuntura com os tratamentos de Medicina Convencional. Não deve alterar qualquer regime de medicação ou outras terapias sem consultar o seu clínico assistente.

Dor numa Consulta de Acupuntura

A ACUPUNCTURA É DOLOROSA?

Os tratamentos de acupunctura não são por norma dolorosos. O tratamento no âmbito de uma Consulta de Acupuntura passa pela aplicação de agulhas muito finas, com a espessura aproximada à de um fio de cabelo e que não se assemelham à dor sentida por uma agulha hipodérmica ou endovenosa – estas (hipodérmicas e endovenosas) são as agulhas que normalmente estamos habituados a associar às seringas e com as quais são administradas substâncias no organismo.

A dor da agulha é assim o maior receio dos pacientes que decidem realizar acupuntura, que é habitualmente debelado de imediato na primeira sessão assim que os pacientes se apercebem do que é mencionado no parágrafo anterior. Inclusivamente, e em determinados tratamentos de Acupuntura com vista ao tratamento de sintomas relacionados com o excesso de ansiedade, insónia, entre muitos outros, não é invulgar os pacientes conseguirem um relaxamento profundo, acabando por adormecer durante o curso da consulta.

TENHO MEDO DE AGULHAS: DEVO FAZER ACUPUNTURA?

Se é a primeira vez que vai fazer e se é uma pessoa mais sensível, é natural que sinta uma impressão no momento de introdução da agulha. No entanto, a esmagadora maioria das pessoas não costumam sentir o momento em que a agulha é inserida (naturalmente depende também da técnica do terapeuta). A este respeito, é aliás vulgar o paciente perguntar ao clínico se já removeu a agulha de tal forma é subtil a sensação da agulha inserida na pele. As agulhas de acupuntura habitualmente utilizadas pelos acupuntores, tem a espessura aproximada de um cabelo, muito finas e flexíveis.

QUE TIPO DE AGULHAS SÃO USADAS NA SESSÃO DE ACUPUNTURA?

Quando falamos de agulhas de acupunctura, estamos a falar habitualmente de uma agulha de aço inoxidável, descartável, com um diâmetro aproximado de um fio de cabelo. Dependendo da técnica do terapeuta e da zona de aplicação da agulha, a maioria dos pacientes refere não sentir qualquer tipo de dor quando da introdução da agulha. Porem pacientes mais sensíveis podem sentir uma ligeira picada da agulha, que habitualmente ocorre por um breve segundo e tende a desaparecer de imediato.

Dependendo do local de aplicação da agulha, há pacientes que referem sensações descritas como: um formigueiro, uma pequena corrente eléctrica, uma sensação de peso, de relaxamento geral, sensações térmicas (frio ou calor). Embora possa causar sensações a que não estamos habituados a sentir, não é normal a Acupuntura causar dor. Se no entanto sentir desconforto ou dor no local de colocação da agulha de acupuntura, deve informar o seu terapeuta para que este possa proceder ao seu ajustamento.

Segurança e a Consulta de Acupuntura

A ACUPUNCTURA É SEGURA? OS TRATAMENTOS DE ACUPUNTURA SÃO SEGUROS?

A Consulta de Acupuntura deve ser realizada por profissionais com formação específica em Acupuntura ou Medicina Chinesa. Esta disciplina está regulada no enquadramento legal português, inserindo-se num grupo mais vasto de terapias designadas de Terapias Não Convencionais. Nesse sentido, quando a Consulta de Acupuntura é realizada por um especialista licenciado em acupunctura ou um médico com formação específica em acupuntura, pode considerar-se um tratamento seguro e eficaz, aplicando-se ao tratamento de diversas doenças do foro agudo e/ou crónico.

Alguns pacientes questionam se as agulhas são de utilização única: as agulhas de acupunctura são pré-esterilizadas, embaladas individualmente e eliminadas no final de cada sessão. A actividade clínica é escrutinada como qualquer outra actividade médica, sendo que os Acupuntores e os terapeutas de Medicina Chinesa necessitam de possuir formação específica. A baixa incidência de efeitos adversos faz com que a utilização da Acupuntura possa ser indicada de forma independente, como complemento da Medicina Convencional, ou em situações em que a utilização desta última é (ou pode ser) desaconselhada pela proeminência de efeitos secundários de fármacos, ou ainda quando se pretende uma abordagem menos invasiva (por exemplo nos casos das grávidas, ou de mães a amamentar para referir apenas um exemplo).

QUAIS OS RISCOS ASSOCIADOS À UTILIZAÇÃO DA ACUPUNCTURA?

Quando a acupunctura é feita de forma adequada e responsável por um praticante licenciado, os riscos são baixos. A acupunctura responde às mesmas exigências regulamentares que outras actividades Clínicas, devendo ser realizada num ambiente “limpo”, recorrendo a agulhas de aço inoxidável, pré-esterilizadas, descartáveis e inquebráveis. Como efeitos adversos graves, e embora raros, referem-se a possibilidade de ocorrência de infeções quando não estão reunidas as condições de assepsia, ou por exemplo a perfuração de um órgão por manuseio indevido de agulha.

QUAIS OS EFEITOS COLATERAIS DA ACUPUNTURA?

A Acupuntura é uma terapia segura e os eventuais efeitos secundários não são habitualmente frequentes, nem graves, porém, como em todas as áreas, particularmente no que toca à saúde, a utilização desta terapia não está isenta de risco.

As situações mais graves podem contemplar por exemplo a lesão de um órgão com uma agulha. Estas situações graves são no entanto raras. Os efeitos colaterais mais frequentes consistem por exemplo no aparecimento de pequenos hematomas na zona da aplicação das agulhas, o que acontece quando uma agulha atravessa um vaso sanguíneo superficial. O hematoma, habitualmente de pequena dimensão, desaparece de forma espontânea ao fim de algumas horas ou dias.

clique no botão para saber mais:

estes são apenas alguns dos testemunhos dos nossos utentes