osteopatia-clinica-medica-do-porto

Benefícios da Osteopatia

Foi em 1880 que o médico americano A. T Still desenvolveu a técnica osteopática. De acordo com teoria subjacente à prática, o corpo humano produz as suas próprias substâncias curativas estando a saúde dependente da integridade estrutural do indivíduo.

“Encontre e suprima a causa do problema e o efeito patológico irá desaparecer!”
A. T Still

Esta Terapia Não Convencional é considerada uma disciplina da medicina complementar, uma vez que recorre a princípios distintos da medicina convencional. O foco do terapeuta e do seu diagnóstico é o paciente enquanto sistema complexo e não o sintoma, justificando a sua incorporação no grupo das chamadas terapias não invasivas de abordagem holística.

As ferramentas do osteopata são as suas mãos e a sua sensibilidade, os seus conhecimentos precisos sobre anatomia fisiologia e o mecanismo da doença e a técnica osteopática, ajustada a cada paciente (estrutural, visceral, craniana);

Entre diferentes técnicas utilizadas, a manipulação do sistema músculo-esquelético aparece como uma das mais frequentes para restabelecer o estado de saúde do paciente. O terapeuta faz valer todo o seu conhecimento de anatomia e fisiologia, bem como o conhecimento acerca dos mecanismos da doença, para, através das mãos, manipular o corpo do paciente até à redução e eliminação da patologia.

Acerca da dor em osteopatia

Para o osteopata, a dor tem um enorme valor de diagnóstico. Ela fornece ao terapeuta informação acerca de um desequilíbrio que poderá ter ocorrido ou estar a decorrer numa zona distinta do local de manifestação da própria dor. O correcto diagnóstico de cada situação particular é assim uma etapa fundamental da consulta osteopática. A título exemplificativo, referimos alguns exemplos que poderão adequar-se a cada uma das circunstâncias:

Dor no ombro direito
É uma dor que poderá aparecer relacionada com problemas hepáticos ou digestivos;
Dor de costas
As costas reflectem grande parte do corpo humano, mas uma dor na zona lombar, poderá indiciar problemas de estômago;
Dor cervical
A dor cervical pode ser a manifestação de diversos transtornos, desde emocionais, nervosos ou respiratórios, até osteoarticulares ou mesmo posturais.

Por vezes, o osteopata manipula o sistema osteoarticular apenas com o intuito de conseguir desbloquear tensões – é o caso da Hérnia Discal, onde a osteopatia demonstra ser especialmente eficaz:

O disco intervertebral é uma estrutura da coluna vertebral que funciona como um amortecedor entre duas vértebras, conferindo flexibilidade à coluna e ao movimento.
Este disco, que apresenta uma estrutura fluida no seu interior, e está naturalmente sujeito a um enorme desgaste durante a nossa vida. Quando o anel interno onde se localiza este “líquido” sofre uma ruptura, por exemplo por desgaste, este sai do seu núcleo podendo comprimir estruturas nervosas que aí se localizam, provocando dor e inflamação. A esta patologia atribuímos o nome de hérnia discal…

A sua sintomatologias varia com a localização da hérnia e com a sua gravidade. É comum sentirem-se dormências, parestesias, rigidez articular, perda de força muscular como consequência de um destes episódios.

A Osteopatia revela-se uma terapia eficaz no tratamento de discopatias. Em alguns casos, os resultados são de tal modo positivos, que pode mesmo chegar a evitar-se a cirurgia. O tratamento consiste no desbloqueamento e descompressão dos corpos vertebrais, aumentando desta forma a sua mobilidade e reduzindo a sintomatologia.

Call Now Button