Alergias-Rinite-Alergica-Clinica-Medica-do-Porto

Alergias Sazonais: Sintomas, Tratamento e Tipos de Alergias

A Primavera é uma época forte em alergias. O aumento dos pólenes e a possibilidade de estar mais tempo fora de casa trazem espilros, tosse, olho irritado e outros sintomas.

Se as alergias sazonais são um problema para si, neste artigo encontrará mais informações sobre o que são alergias, quais as causas mais comuns das alergias (o que causa Rinite Alérgica, ou Conjuntivites, por exemplo) e formas de tratamento das alergias sazonais por meio da Medicina Convencional, bem como recorrendo a Medicina Alternativa e Terapias Não Convencionais.

O que são Alergias Sazonais? Quais os Sintomas e Características das Alergias.

As alergias sazonais surgem em determinadas alturas do ano, frequentemente na primavera e outono, e são provocadas por substâncias chamadas alergénios ou alérgenos. Para quem tem alergias, estes alergénios desencadeiam uma resposta exagerada no sistema imunitário, o que resulta numa diversidade de sintomas que iremos abordar nos parágrafos seguintes.

As alergias sazonais podem ser divididas em Rinite Alérgica, Asma Alérgica e Conjuntivite Alérgica.

O que causa as Alergias Sazonais tais como a Rinite Alérgica, Asma Alérgica e Conjuntivite Alérgica?

Como pudemos ler acima, os alergénios são os grandes responsáveis pelas alergias sazonais e estes podem ser encontrados dentro ou fora de casa. Consulte as listas abaixo para saber quais são e aonde podem ser encontrados os alergénios mais comuns.

Exemplos de Alergénios que encontramos nas nossas casas:

  • Ácaros;
  • Caspa, saliva e pelos de animais domésticos;
  • Fungos;
  • Insetos (baratas);

Exemplos de Alergénios que podemos encontrar fora de casa:

  • Pólenes;
  • Poluição;
  • Fungos;

Outros tipos de alergénios:

  • Fumo de cigarro;
  • Perfumes;
  • Detergentes;
  • Tintas;

Cada pessoa tem uma reatividade específica para cada alergénio, por isso é importante  identificar aquele que causa a sua alergia. Por exemplo, no que respeita aos pólenes, cada planta poliniza numa altura específica do ano e o seu pólen é único, como se fosse uma impressão digital. Por isso, pode ter alergia ao pólen dos Carvalhos e passar incólume pelo pólen dos Plátanos – duas plantas que existem por exemplo na zona do Porto (onde nos encontramos) e cuja época de polinização começa em Março.

Rinite-Alergica-Clinica-Medica-do-Porto

Mais sobre a Rinite Alérgica. Principais Sintomas e Tratamento da Rinite Alérgica.

A Rinite é um termo que descreve uma inflamação do interior do nariz. Chama-se Rinite Alérgica quando essa inflamação é causada por um alergénio (que causa a alergia).

Principais Sintomas da Rinite Alérgica:

  • Nariz entupido (congestão nasal);
  • Pingo no nariz (rinorreia);
  • Espirros;
  • Dor de cabeça (cefaleia);
  • Comichão no nariz (prurido nasal);
  • Em alguns casos conjuntivite (ver Conjuntivite Alérgica)

Diferença entre Rinite Alérgica Sazonal e Perene

Algumas pessoas têm Rinite Alérgica em certas alturas do ano, e nesse caso atribui-se à alergia o título de Rinite Sazonal – ou durante todo o ano – Rinite Perene.  A Rinite Sazonal é também conhecida por “febre dos fenos”, e é causada por pólenes que estão no ar na Primavera, Verão ou Outono. Quem tem Rinite Perene geralmente tem alergia a ácaros, fungos ou outros alergénicos de interior.

Tratamento da Rinite Alérgica pela Medicina Convencional

Antes mesmo de se pensar em medicação usada para tratar a Rinite Alérgica, é importante ter noção que do mesmo modo que em outros episódios alérgicos, uma parte importante do tratamento da Rinite Alérgica passa por  identificar o alergénio e reduzir a exposição ao mesmo.

Para ajudar a controlar os sintomas da Rinite são usados medicamentos anti-histamínicos, descongestionantes nasais e corticoides. As vacinas antialérgicas também são utilizadas no tratamento da Rinite Alérgica e envolvem a exposição gradual a um ou mais alergénios. Esta exposição gradual visa dessensibilizar o sistema imunitário com o objectivo de minimizar a reação do organismo aos agente alérgico.

Tratamento da Rinite Alérgica pela Medicina Não Convencional

A Acupuntura é uma das abordagens não convencionais que pode ajudar a controlar a Rinite Alérgica. O tratamento de Acupuntura pode ser feito ao longo de todo o ano e em conjunto com as terapêuticas convencionais.

Se quer saber mais acerca do contributo da Medicina Chinesa nas alergias, consulte também o artigo Primavera e Alergias: a Visão da Medicina Tradicional Chinesa

Outra alternativa é a Naturopatia. Neste caso o tratamento inclui ajustes na alimentação e, frequentemente, suplementos à base de plantas (fitoterapia), tais como o astrágalo, casca de canela ou nigela.

Numa ou noutra circunstância deve sempre consultar o seu clínico, idealmente o seu médico ou terapeuta antes de iniciar qualquer tratamento.

Alergias-Asma-Alergica-Clinica-Medica-do-Porto

Mais sobre Asma Alérgica. Principais Sintomas e Tratamento da Asma Alérgica.

A asma é uma doença que provoca dificuldade em respirar. Quando a Asma é causada por uma alergia a um alergénio chama-se Asma Alérgica.

Sintomas de Asma, incluindo de Asma Alérgica:

  • Tosse;
  • Dificuldade em respirar (dispneia);
  • Pieira (chiadeira ao respirar);
  • Sensação de aperto no peito;

Muitos doentes com Asma Alérgica têm outras alergias simultâneas, tais como a rinite alérgica, o eczema atópico ou alergias alimentares.

Tratamento da Asma Alérgica pela Medicina Convencional

A asma não tem cura e por isso o tratamento tem como objetivo controlar os sintomas. Após identificar e evitar os alergénios que causam a asma, o tratamento é feito principalmente com a ajuda de inaladores (“bombas”), que têm na sua composição medicamentos broncodilatadores e anti-inflamatórios. Tal como no caso da Rinite Alérgica, também pode ser utilizada a vacina antialérgica.

Tratamento da Asma Alérgica pela Medicina Não Convencional

As terapêuticas não convencionais, como a Acupuntura, e Naturopatia podem colaborar no reforço do sistema imunitário e controlo da doença. Num estudo feito pela Universidade de Berlim e o Hospital de Zurique, os investigadores concluíram que a acupuntura mais o tratamento convencional melhora a qualidade de vida dos doentes com Asma Alérgica, quando comparado com o tratamento convencional administrado de forma individual.

O tratamento da Asma Alérgica por Naturopatia segue os mesmos princípios do tratamento da Rinite alérgica: alterações ambientais, alterações alimentares e eventual suplementação com produtos à base de plantas.

Alergias-Conjuntivite-Alergica-Clinica-Medica-do-Porto

Mais sobre Conjuntivite Alérgica. Principais Sintomas e Tratamento da Conjuntivite Alérgica.

Para terminar a tríade de problemas alérgicos iremos explorar agora a Conjuntivite Alérgica, que se caracteriza pela inflamação da parte branca do olho, chamada conjuntiva. Esta inflamação pode ser igualmente causada pelos alergénios de que falamos anteriormente.

Principais Sintomas da Conjuntivite Alérgica:

  • Vermelhidão na parte branca dos olhos;
  • Comichão nos olhos (prurido);
  • Lacrimejo (lágrimas abundantes);
  • Sensibilidade à luz (fotofobia);
  • Sensação de areia nos olhos (irritação ocular);

Tratamento da Conjuntivite Alérgica

A parte mais importante do tratamento é evitar ou reduzir a exposição às substâncias que desencadeiam a alergia. Para diminuir o desconforto da conjuntivite e aliviar os sintomas, podem aplicar-se gotas para os olhos com ação hidratante e calmante e /ou mesmo aplicar compressas frias. Existe também a opção da aplicação local de medicamentos sob a forma de gotas oculares com ação anti-inflamatória e anti-histamínica, mas nesse caso a sua utilização já exige a necessária indicação médica.

Prevenção-Alergias-Sazonais-Clinica-Medica-do-Porto

Como Prevenir as Alergias Sazonais? Estratégias para Dentro e Fora de Casa e para com os Animais Domésticos.

Para controlar as alergias é indispensável que conheça os agentes a que se é sensível e que, dentro do possível, os evite.

Estratégias para o controlo das Alergias (dentro de casa):

  • Manter as janelas fechadas, principalmente na altura da polinização das plantas às quais faz alergia;
  • Manter a humidade entre 30 e 50% para evitar o crescimento de fungos e ácaros;
  • Lavar frequentemente os lençóis, fronhas e cobertores em água quente;
  • Eliminar (ou minimizar a presença de) objetos que acumulam pó, como alcatifas e carpetes;
  • Eliminar (ou minimizar a presença de) edredões e almofadas de penas;
  • Limpar a casa com regularidade;
  • Se possível, recorrer a aspiradores com filtros de ar de alta eficiência (HEPA) ou aspiração central.
  • Desinfetar a casa periodicamente com acaricidas (substâncias activas contra ácaros);
  • No caso de usar ar condicionado, lavar e substituir os filtros regularmente, incluindo os filtros do carro;

Estratégias para o controlo de Alergias (fora de casa):

  • Evitar zonas com poluição, humidade e fumos;
  • Evitar relvados e zonas com muita vegetação, principalmente na época dos pólenes;
  • Evitar atividades ao ar livre quando as concentrações polínicas forem elevadas;
  • Usar óculos para diminuir a entrada de pólenes nos olhos;
  • Viajar de carro com as janelas fechadas;
  • Consultar regularmente o boletim polínico da Rede Portuguesa de Aerobiologia para saber quais os pólenes em circulação e a sua concentração;

Estratégias para o controlo de Alergias (Animais Domésticos):

  • Evitar ou limitar o contacto com animais de estimação aos quais faz alergia;
  • Manter os animais fora de casa ou, não sendo possível, limitados a uma região da casa;

Para além destas estratégias, eficazes para minorar os efeitos nefastos das alergias, devemos ter em mente que o stress, tal como em outras circunstâncias, pode contribuir para exacerbar as reações alérgicas e dificultar o controlo dos seus sintomas. As técnicas de gestão de stress podem ser uma boa ajuda para quem tem alergias. Praticar exercício físico regularmente, fazer meditação, yoga, são algumas sugestões que lhe deixamos. Para além disso, é importante ter um estilo de vida saudável, dormir o suficiente e evitar cansaço excessivo.

Covid19-Alergias-Sazonais-Clinica-Medica-do-Porto

Relação entre Alergias Sazonais e COVID19

Porque a Pandemia e o vírus COVID19 são temas recorrentes nesta época que atravessamos, não poderíamos deixar de lhe dedicar um parágrafo… A este respeito, não existem evidências de que as alergias aumentem o risco de contrair COVID19 ou de ter complicações dessa doença. Porém, tal como acontece com a gripe, a COVID19 pode descompensar os sintomas da asma. Por esse motivo, é importante que durante a pandemia continue o tratamento das alergias e siga as medidas de proteção recomendadas pela Direção Geral de Saúde.

A este propósito, saiba aliás que nem tudo o que surgiu da pandemia é negativo! Um estudo feito num hospital de Israel concluiu que usar máscaras reduz os episódios sintomáticos de Rinite Alérgica. Tal deve-se quer ao aumento da filtração de partículas consequente da utilização da máscara, bem como ao aumento da temperatura e humidade do ar respirado, circunstâncias que minimizam a possibilidade de contacto do alergeno com as vias respiratórias. Ou seja, o uso de máscaras ajuda a prevenir a COVID19 e ajuda a diminuir os episódios de alergias.

Finalmente um conselho: as Alergias Sazonais podem ser tratadas e controladas. Procure ajuda de profissionais de saúde especializados!

Data de Publicação: 03/2021

Dúvidas ou questões?

A leitura do presente artigo não dispensa em caso algum a visita ao seu médico assistente, nem substitui a sua opinião. Cada caso deverá ser analisado numa óptica individual e personalizada, com base no historial da paciente.
Clique para conhecer as soluções que a Clínica Médica do Porto, coloca ao seu dispor.

SUBSCREVA A NOSSA NEWSLETTER

Fazermos um esforço para lhe oferecer bons conteúdos sem a/ o maçar. Todas as nossas Newsletters possuem um modo de se remover da nossa lista. Acompanhe aos nossos evento, serviços e promoções.


* indica obrigatório